• VI EREPPEGO VI EREPPEGO
    v. 6 (2017)

    APRESENTAÇÃO

    O Encontro Regional de Ensino e Práticas Pedagógicas de Goiás que, em 2017, está em sua sexta edição, pretende discutir sobre os pressupostos filosóficos, sociológicos e pedagógicos que alicerçam o currículo. Toda formação acadêmica tem na estrutura dos currículos a base de sua
    formação e do perfil do profissional egresso. O que se busca neste evento é colocar na ordem do dia tal debate. Nem todas as instituições de ensino superior compreendem que o ensino é a peça chave de sua atuação, em conjunto com a pesquisa e a extensão. Eles são indissociáveis.

    Consoante as discussões sobre currículo a Universidade Estadual de Goiás – UEG tem buscado um diálogo na área de formação de professores, articulado às mudanças na educação básica. Para tanto, é importante que os docentes e discentes tenham o domínio epistemológico do
    que vem a ser as diversas nuances sobre o tema em foco. No Plano de Desenvolvimento Institucional – PDI da Universidade Estadual de Goiás (2010, p. 23) “A política básica do ensino de graduação deve-se pautar pela busca da excelência da academia, melhoria das condições do
    processo de ensino e aprendizagem [...]”. Dessa forma a oferta de cursos deve levar em conta que “metodologicamente as prioridades são a dimensão problematizadora, a aprendizagem significativa e a incorporação de novas tecnologias de ensino” (PDI, 2010, p. 23). A defesa que se faz é que o ensino se torna mais eficiente quando os assuntos estudados fazem sentido para o aluno, fazendo com que ele o considere necessário e indispensável para seu futuro. O aluno consegue aprender mais quando o assunto estudado pode ser relacionado com coisas que já convive, assim ele saberá onde poderá ser mais bem aplicado, e terá mais curiosidade em saber como funciona, como fazer. Nessa concepção o ensino de qualidade que a Universidade Estadual de Goiás imprime realizar parte da pesquisa.

    A política de pesquisa da UEG deverá concentrar-se nas áreas básicas e específicas, segundo o CNPQ, priorizando as demandas sociais, objetivando produzir conhecimento e tecnologia em todos os campos do saber e disseminá-los em padrões elevados de qualidade, atendendo às demandas socioeconômicas locais, regionais e/ou nacionais (PDI, 2010, p. 25). Assim, fica claro que o debate sobre os currículos é de cabal importância. O planejamento da estrutura curricular deve oferecer a possibilidade de um ensino amplo, onde a pesquisa e a extensão estejam amplamente contemplados. A pesquisa pode e até deve preceder o ensino como afirma Luna (2009).
    Essa é a procura do novo, a busca de novos conhecimentos e de confirmações ou negações de teorias. Lembrando é claro, que é na organização dos currículos de que tudo parte e o ensino está aí contido. Esse ensino deve então se preocupar com essa formação ampla, que deve formar um
    profissional capaz de produzir conhecimento e não somente de repetir e/ou retransmitir pontos já estabelecidos. Dessa forma para Luna (2009, p. 35) ''Essencialmente, pesquisa visa a produção de conhecimento novo, relevante teórica e socialmente e fidedigno".

    A produção do conhecimento advindo da pesquisa deve ser disseminada com elevada qualidade, uma das possibilidades de divulgação das pesquisas realizadas pelos docentes e discentes é a realização de eventos acadêmico-científico. Outro fato é que as pesquisas devem atender às
    demandas da sociedade. Com um ensino de qualidade, seja ao formar licenciados, bacharéis ou tecnólogos, a Universidade Estadual de Goiás está disseminando a produção do conhecimento.
    Nessa linha de conceituação infere-se que o professor deve ser um exímio elaborador para auxiliar a
    elaboração própria do acadêmico. Sobre isso Demo (2006, p. 49) assevera que “somente tem algo a ensinar quem pesquisa”. O autor continua afirmando que “Quem pesquisa tem o que comunicar.
    Quem não pesquisa apenas reproduz ou apenas escuta. Quem pesquisa é capaz de produzir instrumentos e procedimentos de comunicação” (p. 39).

    Nessa concepção elaboramos o referido evento, contendo palestras, mesas redondas, simpósios temáticos e apresentação de banners. Será discutido também como esta formação influencia na atuação do profissional e analisar como a didática, as práticas de ensino e a prática
    pedagógica interdisciplinar interferem no produto final da universidade que é a produção do conhecimento e sua disseminação, de forma que toda a sociedade possa dele usufruir através de membros permanentes e egressos. Esses últimos com um papel muito importante, pois são esses discentes que vão atuar muito mais diretamente com a comunidade em suas diversas áreas de
    formação e vão mostrar se a universidade cumpriu seu papel no universo social. Continuando, é nossa proposta também discutir a questão teoria e prática do estágio, socializar as produções acadêmicas advindas dos projetos de pesquisa, de extensão e de ensino (PIBID, Prática Pedagógica e Estágio), e por fim, compreender o papel da UEG de ser a representante do ensino superior na
    interiorização do conhecimento no Estado de Goiás.

    Os Seminários Temáticos comporão as discussões de trabalhos realizados por acadêmicos quanto a pesquisa, ensino e extensão realizados nos últimos anos, tanto do Campus Jussara quanto de outros Campus e também de outras instituições de ensino superior. O evento visa discutir a formação de professores pela indissociabilidade do tripé universitário – ensino, pesquisa, extensão – pela didática, práticas de ensino, interdisciplinaridade, estágio, como forma de demonstrar que a Universidade é o espaço da produção do conhecimento. No último dia do evento acontecerá um momento científico na qual estarão expostos os livros de autoria dos palestrantes e dos professores da UEG.

    PÚBLICO ALVO

    Esse é um encontro em que o EREPPEGO tem o formato de congregar todos os cursos e ao mesmo tempo atender as suas particularidades com trabalhos que visam a licenciatura em seu conjunto e também as práticas pedagógicas e de ensino de cada curso e seu produto final. Esperamos um público em torno de 400 inscritos. A expectativa é a de que esse público seja heterogêneo e que envolva estudiosos de outras unidades da federação, e de forma concreta o estado de Goiás, especialmente cidades como: Aruanã, Anicuns, Britânia, Santa Fé de Goiás, Montes Claros de Goiás, Itapirapuã, Goiás, Faina, Matrinchã, Fazenda Nova, Iporá, São Luís de Montes Belos, Sanclerlândia, Buriti de Goiás, Jaupaci, Israelândia, da capital - Goiânia - Barra do Garças e  do leste matogrossense. Portanto, o público-alvo se caracteriza por: Alunos dos cursos de História, Matemática, Letras e Pedagogia da Universidade Estadual de Goiás – Câmpus Jussara; Estudantes de outras IES dos referidos cursos e áreas afins; Pesquisadores e estudiosos das referidas áreas e outras áreas afins; Professores das redes públicas e privadas; Estudantes egressos; Estudantes de Pós-Graduação; Gestores e demais profissionais da área da educação.

    COORDENADORES

    Profª. Ms. Cleonice Maria Cruz de Oliveira
    Dr. Deuzair José da Silva
    Mestranda Nalha Monteiro de Souza Lourenço Costa

    INSCRIÇÕES

    A inscrição pode ser feita através do site: http://ereppego.wixsite.com/uegjussaravi/inscricoes

    PROGRAMAÇÃO

    04/10/2017 – VESPERTINO
    → 14:00 às 17:00 – Credenciamento
        Local: UEG – Câmpus Jussara

    04/10/2017 – NOTURNO
    → 19:00 – Acolhida
    → 19:15 – Abertura – Prof. Me. Miguel Antonio de Camargo – Diretor do Câmpus Jussara
    → 19:30 – Palestra de abertura “Currículo e os desafios contemporâneos”
        Profª Doutoranda Maria Olinda Barreto – Pró-Reitora de Graduação da UEG
        Coordenadora: Profa Me. Cleonice Maria Cruz de Oliveira (UEG/Jussara)
    → 21:30 – Debate
    → 22:30 – Encerramento
        Local: Câmara Municipal de Jussara

    05/10/2017 – Vespertino
    → Horário: 13:00 às 17:00
        Local: UEG – Câmpus Jussara
        Minicursos/Oficinas:
        MC 01 – Os desafios da Prática de Ensino: temas e perspectivas
        MC 02 – Práticas Pedagógicas no Ensino Fundamental: foco na leitura
        MC 03 – Interculturalidade e oralidade: o mito dos Orixás
        MC 04 – O planejamento como uma bússola para dirigir o cotidiano do trabalho docente do professor
        MC 05 – A sala de aula e os outros recursos didáticos
        MC 06 – Gênero e sexualidade na educação básica: possibilidade e perspectivas de ensino

    05/10/2017 – Noturno
    → Horário: 19:00
        Atividade 1 – Mesa-redonda: Educação do Campo
        Debatedores:
        Profª Ma. Damiana Antonia Coelho (UEG/Itapuranga)
        Tema: Práticas de ensino: estou preparado para atuar na educação do campo?
        Prof. Me. Claudio Tavares Pinheiro (UEG/Itapuranga)
        Tema: Educação do Campo: histórico e perspectivas filosóficas e curriculares
        Mediador/Coordenação: Profo Dr. Deuzair José da Silva (UEG/Jussara)
        Local: Auditório da Subsecretaria de Educação de Jussara
        Atividade 2 – Palestra: Fundamentos teóricos-metodológicos do ensino de produção textual
        Conferencista: Profa Dra Luzia Rodrigues da Silva – CEPAE/UFG
        Local: Auditório do Colégio Dom Bosco – Jussara
        Atividade 3 – Palestra: Problemas de Contagem e Probabilidade
        Conferencista: Prof. Me. Miguel Antônio de Camargo
        Local: Auditório do Câmpus

    Dia 06/10/2017 – Vespertino
    → Horário: 15:00
        Apresentações de Pôsteres
        Local: UEG – Câmpus Jussara

    Dia 06/10/2017 – Noturno
    → Horário: 19:00
        Atividade 4 – Mesa-redonda 2: Currículo na formação de professores: aspectos filosóficos, sociológicos e pedagógicos
        Debatedores:
        Profo Doutorando: Renato Barros de Almeida (UEG/PUC)
        Profª Drª Sheila Santos de Oliveira (PUC)
        Mediação/Coordenação: Profa Mestranda Renata Herwig de Moraes Souza (UEG/Jussara)
        Local: Câmara Municipal de Jussara

    Dia 07/10/2017 - Matutino
    → Horário: 7:30min às 12:00
        Simpósios Temáticos:
        ST 01 – Práticas Pedagógicas do Ensino de História
        ST 02 – Práticas Pedagógicas: saberes da/na docência, pesquisa e extensão
        ST 03 – Didática e Prática de Ensino
        ST 04 – Ensino Superior e Formação de Professor
        ST 05 – Mídias e Tecnologia Educacional
        ST 06 – A formação do professor de matemática no contexto da Educação Básica
        ST 07 – Uso, práticas e reflexões sobre a língua(gem)
        ST 08 – Educação, Currículo e Diversidade
        ST 09 – Ensino de Língua(s)
        Local: UEG – Câmpus Jussara

    DESENVOLVIMENTO/PROPOSTAS

    04/10/2017 – NOTURNO
    → 19:00 – Acolhida
    → 19:15 – Abertura – Prof. Me. Miguel Antonio de Camargo – Diretor do Câmpus Jussara
    → 19:30 – Palestra de Abertura “Currículo e os desafios contemporâneos”
        Profª. Doutoranda Maria Olinda Barreto – Pró-Reitora de Graduação da UEG
        E-mail: maria.olinda@ueg.br
        CV: http://lattes.cnpq.br/8706373884871275
        Coordenadora: Profª Ma. Cleonice Maria Cruz de Oliveira (UEG/Jussara)
    → 21:30 – Debate
        Local: Câmara Municipal de Jussara
        A discussão da temática do currículo é tema e o objetivo desta fala. O currículo é a base da estruturação da formação acadêmica. Hoje, mais do que nunca o debate sobre sua elaboração e aplicação se colocam como urgentes. A temática envolve a didática, prática pedagógica, estágio e atuação docente. A formação acadêmica se inicia na discussão dos currículos. Torna-se imperativo o debate sobre os pressupostos filosóficos, sociológicos e pedagógicos de sua construção, posto que este tem importância crucial na vida do discente, da educação básica e da Universidade, e de forma especial na licenciatura.

    05/10/2017 – Vespertino
    → Horário: 13:00 às 17:00
        Minicursos/Oficinas:
        Local: UEG – Câmpus Jussara
        MC 01 – Os desafios da Prática de Ensino: temas e perspectivas
        Proponente: Prof. Me. Wilson de Sousa Gomes (UEG – Jussara/Cora Coralina).
        Duração: 4 horas

    05/10/2017
    → Horário: 13:00 – 17:00
        Local: UEG – Câmpus Jussara

  • V EREPPEGO V EREPPEGO
    v. 5 (2015)

    APRESENTAÇÃO

    Os anais foram elaborados como reflexo do EREPPEGO - Encontro Regional de Ensino e Práticas Pedagógicas de Goiás, pelas acadêmicas Vanessa Amélia da Silva Rocha e Patrícia Ferreira de Souza, que em 2015, em sua quinta edição, discutiu sobre a formação acadêmica envolvendo a indissociabilidade ensino, pesquisa e extensão e suas nuances, como por exemplo, pela didática, prática pedagógica, estágio e atuação docente. Contudo, toda formação acadêmica se inicia com a pesquisa. Nem todas as instituições de ensino superior compreendem que a pesquisa é o sistema nervoso da universidade. Bem como, nem todas que fazem pesquisas adotam a indissociabilidade ensino, pesquisa e extensão. Algumas aliam apenas a pesquisa ao ensino.

    A desmistificação crucial é sobre a separação entre pesquisa e ensino. Eles são indissociáveis. Mas, como diz Demo (2006, p. 12) “Muitos estão dispostos a aceitar universidades que apenas ensinam, como é o caso típico de instituições noturnas, nas quais os alunos comparecem somente para aprender e passar, e os professores, quase todos biscateiros de tempo parcial somente dão aula”.

    Consoante a questão da indissociabilidade ensino, pesquisa e extensão, a Universidade Estadual de Goiás – UEG, vem alicerçando essa tripla função em seus cursos. O conceito de universidade que esta instituição adota é que a todas deveriam adotar – a pesquisa precede o ensino e a extensão. Para tanto é importante que os docentes e discentes tenham o domínio epistemológico do que vem a ser e como se realiza o ensino, a pesquisa e a extensão. Outro ponto de destaque é no tocante a possibilidade de ações interdisciplinares e principalmente que promovam a indissociabilidade entre o ensino, da pesquisa e da extensão.

    Paulo Freire é um dos mais importantes educadores do século XX e um dos mais expressivos pensadores do nosso tempo. Contribuiu para o ensino, a pesquisa e a extensão. Contudo, é importante questionar o que vem a ser o ensino, o que vem a ser a pesquisa e o que vem a ser a extensão. No Plano de Desenvolvimento Institucional – PDI da Universidade Estadual de Goiás (2010, p. 23) “A política básica do ensino de graduação deve-se pautar pela busca da excelência da academia, melhoria das condições do processo de ensino e aprendizagem [...]”.

    Dessa forma a oferta de cursos deve levar em conta que “Metodologicamente as prioridades são a dimensão problematizadora, a aprendizagem significativa e a incorporação de novas tecnologias de ensino” (PDI, 2010, p. 23). A defesa que se faz é que o ensino se torna mais eficiente quando os assuntos estudados fazem sentido para o aluno, fazendo com que ele o considere necessário e indispensável para seu futuro. O aluno consegue aprender mais quando o assunto estudado pode ser relacionado com coisas que ele já convive, assim ele saberá onde poderá ser mais bem aplicado, e terá mais curiosidade em saber como funciona, como fazer. Nessa concepção o ensino de qualidade que a Universidade Estadual de Goiás imprime realizar parte de pesquisa.

    Nessa linha de pensamento é preciso então conceituar a pesquisa para a Universidade Estadual de Goiás. No Plano de Desenvolvimento Institucional encontra-se uma conceituação para a pesquisa que converge com o que Demo (2005) defende ao dizer que a pesquisa deve preceder o ensino e a extensão.

    A política de pesquisa da UEG deverá concentrar-se nas áreas básicas e específicas, segundo o CNPQ, priorizando as demandas sociais, objetivando produzir conhecimento e tecnologia em todos os campos do saber e disseminá-los em padrões elevados de qualidade, atendendo às demandas socioeconômicas locais, regionais e/ou nacionais. (PDI, 2010, p. 25) Luna (2009) afirma que a pesquisa é a procura do novo. É a busca de novos conhecimentos e de confirmações ou negações de teorias. Toda pesquisa exige que seja levantado alguns pontos do assunto a ser pesquisado. São eles: elaboração de um conjunto de perguntas que se deve responder com a pesquisa; levantamento de todas as informações que são fundamentais para se chegar as respostas; levantamento das fontes que serão pesquisadas; determinação das ações que cheguem as informações; seleção de meios que serão, usados para o tratamento das informações; escolha de um desenvolvimento teórico para interpretação delas; elaboração das respostas para as perguntas formadas pelo problema; a exposição dos resultados alcançados com a pesquisa, demonstrando até que ponto os resultados podem ser considerados verdadeiros. Dessa forma para Luna (2009, p. 35) ''Essencialmente, pesquisa visa a produção de conhecimento novo, relevante teórica e socialmente e fidedigno".

    Analisando o conceito de pesquisa supracitado é possível inferir que a Universidade Estadual de Goiás prega a indissociabilidade ensino, pesquisa e extensão. Isso é notado quando se afirma que a produção do conhecimento advindo da pesquisa deve ser disseminado com elevada qualidade. Essa disseminação pode ser feita pelas vias do ensino e também da extensão. Outro fato comprobatório é quando afirma que as pesquisas devem atender às demandas da sociedade. Com um ensino de qualidade, seja ao formar licenciados, bacharéis ou tecnólogos, a Universidade Estadual de Goiás, está disseminando a produção do conhecimento.

    Com a mesma intensidade afirma-se que a realização de ações extensionistas é a consolidação da pesquisa, visto que a sociedade será diretamente beneficiada com os resultados da pesquisa. Se uma pesquisa parte de uma problemática deve chegar a uma resposta, mesmo que crie outras tantas problemáticas. Essas respostas precisam chegar a sociedade, seja via ensino ou extensão. De preferência via ensino e extensão, consolidando assim a indissociabilidade pesquisa, ensino e extensão. Seja a pesquisa, o ensino ou a extensão, o mediador dessas atividades é o professor. Dessa forma cabe nesse momento saber quem é o professor. Para Demo (2006, p. 38) é “o pesquisador, o socializador e motivador de novos pesquisadores”. A interpretação desse conceito pode ser de que o professor é aquele que pesquisa, ensina e extensiona seus conhecimentos de forma que motiva novos pesquisadores.

    Nessa linha de conceituação infere-se que o professor deve ser um exímio elaborador para auxiliar a elaboração própria do acadêmico. Sobre isso Demo (2006, p. 49) assevera que “somente tem algo a ensinar quem pesquisa”. O autor continua afirmando que “Quem pesquisa tem o que comunicar. Quem não pesquisa apenas reproduz ou apenas escuta. Quem pesquisa é capaz de produzir instrumentos e procedimentos de comunicação” (p. 39). Mas, nas universidades encontra-se muito o “professor-papagaio, que sempre diz a mesma coisa e já sequer sabe o que diz”, como assevera Demo (2006, p. 51).

    A Universidade para efetivar a indissociabilidade pesquisa, ensino e extensão na formação acadêmica, elabora seus documentos mediante essa concepção. Um dos documentos é o Projeto Pedagógico dos cursos que devem contemplar essa discussão. Sobre isso o PDI (2010, p. 22) apresenta que “O Projeto pedagógico de cada curso deve ser adequado aos novos parâmetros de aprendizagem e estar de acordo com as DCNs, nos princípios da articulação entre teoria e prática, entre ensino, pesquisa e extensão, da interdisciplinaridade e da flexibilidade curricular”.

    Nessa concepção elaboramos o referido evento, contendo palestras, mesas redondas, simpósios temáticos, apresentação de banners e momento cultural. Todas as atividades contemplando a pesquisa, o ensino e a extensão, discutindo suas nuances na formação acadêmica. Um dos objetivos do evento foi refletir sobre a importância da indissociabilidade pesquisa, ensino e extensão e suas nuances na formação do acadêmico. Outro foi discutir como esta formação influencia na atuação do profissional, analisar como a didática, as práticas de ensino e a prática pedagógica interdisciplinar interferem na teoria e prática do estágio, socializar as produções acadêmicas advindas dos projetos de pesquisa, de extensão e de ensino (PIBID, Prática Pedagógica e Estágio), e por fim, compreender o papel da UEG de ser a representante do ensino superior da indissociabilidade.

    Os Seminários Temáticos promoveram as discussões de trabalhos realizados por acadêmicos quanto a pesquisa, ensino e extensão realizados nos últimos anos, tanto do Campus Jussara quanto de outros Campus e também de outras instituições de ensino superior. O evento discutiu a formação de professores pela indissociabilidade do tripé universitário, pela didática, práticas de ensino, interdisciplinaridade, estágio, atuação, ou seja, suas nuances. Como forma de demonstrar que a Universidade é o espaço da pesquisa e a partir desta vem o ensino e a extensão, no último dia do evento aconteceu um momento científico com a árvore do conhecimento, na qual foram expostos os livros de autoria dos palestrantes e dos professores da UEG.

    Andréa Kochhann

    Editora Chefe
    1. Andréa Kochhann, UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS, Brasil

    Equipe Editorial
    1. Professor José Elias Pinheiro Neto, UEG-Itapuranga, Brasil
    2. Deuzair José da Silva, Brasil
    3. Fernanda Rocha Bomfim, Universidade Estadual de Goiás (UEG), Brasil
    4. Eduardo Soares de Olliveira, Câmpus de Jussara, Universidade Estadual de Goiás, Brasil
    5. Sra Sonia Nogueira Leandra, Brasil
    6. Herwig Souza Moraes Herwig de Moraes Souza, UEG, Brasil
    7. Helias Assunção Freitas
    8. Aline Moreira da Fonseca Nascimento
    9. Simone Luz da Silva
    10. Ricardo Elias Jreige
    11. Renata da Silva Matos
    12. Flávia Oliveira Martins Fiúza
    13. Anyellen Mendanha Leite
    14. Nalha Monteiro de Souza Lourenço Costa
    15. Wilson de Sousa Gomes, UEG, Brasil
    16. Evandro Rosa de Araújo, UEG, Brasil
    17. Senhora Cleonice Maria Cruz Oliveira, Brasil

    Colaboradoras
    1. Vanessa Amélia da Silva Rocha, Universidade Estadual de Goiás, Brasil
    2. Patrícia Ferreira, Brasil

    PROGRAMAÇÃO GERAL

    26/10/2015 – VESPERTINO – Câmpus UEG/Jussara
    → 14:00 – Credenciamento
    → 18:00 – Exposição durante o evento da Livraria Seasons Books

    ► 26/10/2015 – NOTURNO - Câmara Municipal de Jussara (AUDITÓRIO MANOEL SOARES DE CASTRO)
    → 19:00 – Acolhida
    → 19:15 - Abertura – Prof. Miguel Antônio de Camargo – Diretor do Câmpus Jussara
    → 19:30 – Palestra de abertura “A importância da indissociabilidade pesquisa, ensino e extensão na formação acadêmica”
        Dr. Haroldo Reimer – Reitor da UEG
        Coordenador Dr. Deuzair José da Silva
    → 20:30 – Debate
    → 21:30 – Momento Cultural
    → 22:30 – Encerramento

    ► 27/10/2015 – NOTURNO – Câmpus UEG/Jussara
    → 19:00 – 20:00 – Exposição de Banners Temáticos
    → 20:00 – 22:30 – Simpósios Temáticos
        ST 01 – DIDÁTICA E PRÁTICA DE ENSINO
        ST 02 – ESTÁGIO DO ENSINO FUNDAMENTAL
        ST 03 – ESTÁGIO DO ENSINO MÉDIO
        ST 04 – ENSINO SUPERIOR E FORMAÇÃO DE PROFESSOR
        ST 05 – MÍDIAS E TECNOLOGIA EDUCACIONAL
        ST 06 – TÓPICOS DE MATEMÁTICA
        ST 07 – TÓPICOS DE HISTÓRIA
        ST 08 – TÓPICOS DE LETRAS

    ► 28/10/2015 – NOTURNO - Câmara Municipal de Jussara (AUDITÓRIO MANOEL SOARES DE CASTRO)
    → 19:00 – Acolhida
    → 19:15 – Abertura
    → 19:30 – Palestra “A prática pedagógica e seus horizontes: a pesquisa, a extensão e a interdisciplinaridade”
        Dra. Marlene Barbosa de Freitas Reis – UEG Câmpus Inhumas
    → 20:30 – Palestra “O estágio e o trabalho docente: a dicotomia entre teoria e prática”
        Dr. Carlos Cardoso Silva – UFG
        Coordenadora Ms. Fernanda Rocha Bomfim
    → 21:30 – Debate
    → 22:30 – Encerramento

    ► 29/10/2015 - NOTURNO - Câmara Municipal de Jussara (AUDITÓRIO MANOEL SOARES DE CASTRO)
    → 19:00 – Acolhida
    → 19:15 – Abertura
    → 19:30 – Mesa Redonda “Didática e prática de ensino: suas nuances na formação de professores”
        Ma. Andréa Kochhann – UEG
        Dra. Sandra Limonta – UFG
        Coordenadora: Esp. Renata Herwig
    → 21:30 – Debate
    → 22:30 – Encerramento

    ► 30/10/2015 – NOTURNO - Câmara Municipal de Jussara (AUDITÓRIO MANOEL SOARES DE CASTRO)
    → 19:00 – Acolhida
    → 19:15 – Abertura
    → 19:30 – Palestra “Desafios da docência na Educação Básica”
        Dr. Cristiano Alexandre dos Reis – UEG Câmpus Goiás
        Coordenadora: Ma. Andréa Kochhann
    → 20:30 – Debate
    → 21:30 – Momento Científico – Exposição dos livros dos palestrantes e docentes da Instituição
    → 22:30 – Encerramento