AVALIAÇÃO DA POLPA DE CAJÁ-MANGA SUBMETIDA A SECAGEM POR ATOMIZAÇÃO.

  • Pedro Augusto Resende Rimoli Universidade Estadual de Goiás
  • Caroline Xavier dos Santos Universidade Estadual de Goiás
  • Ivano Alessandro Devilla Universidade Estadual de Goiás
  • Sueli Martins de Freitas Alves Universidade Estadual de Goiás

Resumo

O cajá-manga (Spondias dulcis L.) é um fruto predominante dos estados do norte e nordeste, porém é encontrado em diversas regiões do País, consumido in natura ou processado, devido a quantidade relevante de vitamina C, carotenoides, taninos, potássio, cobre e compostos fenólicos. Devido a sua alta perecibilidade, a secagem se mostra como uma importante opção de tecnologia de conservação pós-colheita, por aumentar a vida útil do produto, além de manter a sua qualidade. Objetivando avaliar a caracterização dos frutos de cajá-manga atomizado, utilizou-se de polpas adquiridas no CEASA de Anápolis, após a aquisição, as polpas foram transportadas em embalagens plásticas, até o laboratório de Secagem e Armazenamento de Produtos Vegetais, do curso de Engenharia Agrícola, do Campus Anápolis CCET. Para verificar o efeito combinado das temperaturas e concentrações, na atomização da polpa de cajá-manga, foi utilizado o  delineamento inteiramente casualizado, com esquema fatorial duplo 3x3 sendo três temperaturas no spray dryer (100°C, 120°C e 140°C) e três concentrações (5%, 15% e 25%) do adjuvante maltodextrina, com 4 repetições. Os resultados que demonstraram as características mais desejáveis foram encontrados no tratamento com temperatura de 140°C e concentração de adjuvante de 25%.

Palavras-chave: Spondias dulcis L., spray dryer, maltodextrina.

Publicado
2019-04-16