PANC: Aceitação de doces preparados com plantas alimentícias não convencionais durante o Sarau Cultural da UEG

  • Yasmin R. Cardoso Universidade Estadual de Goiás Câmpus Itumbiara.
  • Camila de S. Melo Universidade Estadual de Goiás Câmpus Itumbiara.
  • Ana Caroline F. Neves Universidade Estadual de Goiás Câmpus Itumbiara.
  • Dyelle Fernanda B. Medeiros Universidade Estadual de Goiás Câmpus Itumbiara.
  • Maria Aparecida D. Oliveira Universidade Estadual de Goiás Câmpus Itumbiara.
  • Patrícia M. Gomes Universidade Estadual de Goiás Câmpus Itumbiara.
  • Leice A. Carvalho Universidade Estadual de Goiás Câmpus Itumbiara.
  • Dayane S. G. da Costa Universidade Estadual de Goiás Câmpus Itumbiara
  • Sara Thays do N. Damião Universidade Estadual de Goiás Câmpus Itumbiara.
  • Adrielle Késsia Batista Universidade Estadual de Goiás Câmpus Itumbiara.
  • Rayunny C. Marins Universidade Estadual de Goiás Câmpus Itumbiara.
  • Bruna O. da Silva Universidade Estadual de Goiás Câmpus Itumbiara.
  • Athielly D. A. Rabelo Universidade Estadual de Goiás Câmpus Itumbiara.
  • Inara V. Lima Universidade Estadual de Goiás Câmpus Itumbiara.
  • Cristiane de O. Bolina Universidade Estadual de Goiás Câmpus Itumbiara.
Palavras-chave: Hortaliças. Plantas alimentícias. Fome. Nutrição.

Resumo

Dados do IBGE estimam que até o ano 2050 existirão 9 bilhões de pessoas no mundo, e como alimentar tanta gente é uma questão preocupante, principalmente quando se pensa que mais de sete milhões de brasileiros convivem com a fome. Seja por questões econômicas ou culturais, a dieta alimentar da maioria da população é pobre, feita de poucos alimentos, mesmo o Brasil possuindo a maior biodiversidade do planeta. O trabalho de resgate das plantas alimentícias não convencionais (PANC) é fundamental para enriquecer a alimentação da população, com especial atenção para as famílias carentes, além de evitar o processo de extinção de plantas que mesmo sendo consideradas rústicas e com alto valor nutricional deixaram de ser consumidas. Pensando nisso, o objetivo do projeto é resgatar o consumo de plantas alimentícias não convencionais pela população de Itumbiara-GO, a partir do cultivo de espécies de PANC na Universidade Estadual de Goiás, e levar ao conhecimento da comunidade a possibilidade de enriquecer a alimentação a partir do consumo dessas plantas. O primeiro contato da comunidade acadêmica com essas plantas foi pela comercialização de doces preparados com baru, hibisco e pimenta rosa durante o Sarau Cultural. Os doces tiveram ótima aceitação entre os consumidores.

Biografia do Autor

Yasmin R. Cardoso, Universidade Estadual de Goiás Câmpus Itumbiara.
Graduando do curso de Farmácia.
Camila de S. Melo, Universidade Estadual de Goiás Câmpus Itumbiara.
Graduando do curso de Farmácia.
Ana Caroline F. Neves, Universidade Estadual de Goiás Câmpus Itumbiara.
Graduando do curso de Farmácia.
Dyelle Fernanda B. Medeiros, Universidade Estadual de Goiás Câmpus Itumbiara.
Graduando do curso de Farmácia.
Maria Aparecida D. Oliveira, Universidade Estadual de Goiás Câmpus Itumbiara.
Graduando do curso de Farmácia.
Patrícia M. Gomes, Universidade Estadual de Goiás Câmpus Itumbiara.
Graduando do curso de Farmácia.
Leice A. Carvalho, Universidade Estadual de Goiás Câmpus Itumbiara.
Graduando do curso de Farmácia.
Dayane S. G. da Costa, Universidade Estadual de Goiás Câmpus Itumbiara
Graduando do curso de Farmácia.
Sara Thays do N. Damião, Universidade Estadual de Goiás Câmpus Itumbiara.
Graduando do curso de Farmácia.
Adrielle Késsia Batista, Universidade Estadual de Goiás Câmpus Itumbiara.
Graduando do curso de Farmácia.
Rayunny C. Marins, Universidade Estadual de Goiás Câmpus Itumbiara.
Graduando do curso de Farmácia.
Bruna O. da Silva, Universidade Estadual de Goiás Câmpus Itumbiara.
Graduando do curso de Farmácia.
Athielly D. A. Rabelo, Universidade Estadual de Goiás Câmpus Itumbiara.
Graduando do curso de Farmácia.
Inara V. Lima, Universidade Estadual de Goiás Câmpus Itumbiara.
Graduando do curso de Farmácia.
Cristiane de O. Bolina, Universidade Estadual de Goiás Câmpus Itumbiara.
Professora e orientadora.
Publicado
2017-03-28