HISTÓRIA DOS SERTÕES DE LUIZ FERNANDO DE CARVALHO: ESTÉTICA, NARRATIVA E EDUCAÇÃO

Fabiana Gomes de Souza

Resumo


Resumo: A proposta de comunicação que aqui se apresenta faz parte do Projeto de Pesquisa intitulado E da TV se fez cinema, teatro, pintura: A estética educativa de Luiz Fernando Carvalho & Outras Histórias, coordenado pela professora Michelle dos Santos, e sua reflexão também está vinculada ao GPTEC – Grupo de Pesquisa em Imagens Técnicas. Ela tem como centro de investigações o diálogo entre duas obras do diretor de cinema e TV Luiz Fernando Carvalho: o filme Lavoura Arcaica (2001) e a minissérie A Pedra do Reino (2007). Há pontos de afinidade no conteúdo. As duas histórias se passam no que se convenciona chamar Brasil profundo. O profundo é o sertão, onde prevalece um modo de vida tradicional. Valores antigos. O próprio título do longa-metragem já diz: trata-se de um mundo arcaico, como o é o mundo de Quaderna, auto-proclamado 'Rei do Quinto Império e do Quinto Naipe, Profeta da Igreja Católico-Serteneja e pretendente ao trono do Império do Brasil'. Em compensação, Lavoura Arcaica e A Pedra do Reino são formalmente muito divergentes, o que nos conduz a uma rica e atual discussão sobre as afinidades e as distinções entre os meios de comunicação industriais e pedagógicos em foco: o cinema e a televisão, em termos de produção, filmagem e exibição.

Palavras-chave: TV; Cinema; Sertão.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2359-5558