INCENTIVO À LEITURA: A RELAÇÃO COM O REAL PARA CONECTAR AO IMAGINÁRIO

  • Matheus Azevedo Universidade Estadual de Feira de Santana
  • Andressa Vieira Souza Universidade Estadual de Feira de Santana

Resumo

O presente trabalho tem como tema a produção textual nas escolas e as problemáticas que envolvem o assunto, como as dificuldades do professor para introduzir a prática de leitura no cotidiano do aluno e a falta de incentivo para que o discente desenvolva um pensamento mais subjetivo, dificultando, assim, a formação do caráter questionador da interpretação textual. O objetivo é discutir o processo de formação de leitores nas escolas e como o docente pode contribuir para desenvolver a subjetividade do aluno na sala de aula. Utilizando como base os estudos de funcionamento da língua como processo de integração social de Marcuschi (2004), a escola democrática de Freire (1997) e o ensino significativo de linguagem através do discurso de Motta Ruth (2006), serão apresentadas as diferentes abordagens que o professor pode trabalhar a partir de textos de épocas distintas para tratar de conteúdos semelhantes, estimular a reflexão e, aos poucos, conectar a realidade do aluno com o abstrato. Para isso serão analisadas duas leituras de épocas distintas: o romance Dom Casmurro de Machado de Assis e uma reportagem da revista Rolling Stone a respeito da cultura do cancelamento e quais os conteúdos e mensagens que esses textos em diferentes suportes textuais podem despertar nos alunos no âmbito do estabelecimento da verdade e suas perspectivas. Ao incentivar o discente a ler enquanto o objeto de leitura é relacionado à sua realidade, o aluno demonstra mais interesse no assunto. Essa pesquisa não almeja esgotar o tema no sentido de apresentar um resultado absoluto, mas levantar um debate sobre o assunto e trazê-lo para a discussão coletiva, gerando reflexão.

Publicado
2021-02-27