ENSINO REMOTO DE LÍNGUA INGLESA NO ENSINO FUNDAMENTAL I: CAMINHOS E POSSIBILIDADES

  • Ana Luiza Luzio da Silva UNESP MARÍLIA (PPGE)
  • Daniela Nogueira de Moraes Garcia

Resumo

Diante da relevância da língua inglesa no mundo globalizado, tem se tornado cada vez mais presente na educação pública, o ensino de uma língua estrangeira. No entanto, nas legislações vigentes esse ensino só aparece como obrigatório a partir do sexto ano, sendo que o inglês predomina como língua escolhida. Este projeto busca compreender as transformações ocorridas no ensino de língua inglesa no Ensino Fundamental I em dois sistemas municipais distintos com a adoção de aulas remotas, devido o advento da pandemia ocasionada pela Covid-19. Assim, busca-se conhecer de que maneira as aulas foram reformuladas, ressignificadas para atender as novas necessidades provocadas pelo contexto educacional em transformação. Como estratégia metodológica serão coletados relatos de professores envolvidos nesse processo, objetivando verificar quais metodologias ativas e como os usos das tecnologias estão sendo utilizadas com essa mudança paradigmática de ensino (MORAN, 2013). Nessa nova configuração educacional, os municípios tiveram liberdade para organizar seus sistemas, bem como optar por plataformas de ensino. Assim, nesse trabalho serão investigadas as experiências do ensino de língua inglesa em dois municípios do interior do estado de São Paulo, que usam diferentes recursos para o ensino remoto. Como pressuposto teórico esse projeto se pauta na Teoria Histórico-Cultural (THC), pautada na concepção de ensino desenvolvente segundo o qual o aluno se torna protagonista na produção do conhecimento. (REPKIN, 2014) O professor atua a princípio nesse papel de mediador na construção de conhecimento, que se dá na relação com o outro. As atividades devem ter um objetivo definido para que o sujeito possa atuar de forma ativa no processo de aprendizagem.

Publicado
2021-02-24
Seção
FORMAÇÃO DE PROFESSORAS/ES DE LÍNGUAS PARA CRIANÇAS