FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE LÍNGUA INGLESA

UMA EXPERIÊNCIA INTERNACIONAL

Resumo

Para construir nossa identidade como professores de língua inglesa, enfrentamos o desafio de ‘dominar’ uma língua que não é nossa e que está em constante transformação nos diversos lugares onde é falada; ensinar uma estrutura que é fixa, mas que pode fugir à regra, sem causar prejuízo à compreensão; ensinar pronúncia de palavras que podem ser faladas de um jeito, mas também de outros. Essa concepção de língua(gem) perpassa pelas leituras, crenças, atividades e atitudes do professor em relação às culturas diversas, ao conhecimento da história, ao foco político que se engaja, aos contextos que participa. Essa perspectiva nos faz sugerir que é preciso muito mais do que frequentar um curso superior para tornar-se um professor atento às mudanças globais que afetam a formação escolar e cidadã. Como professora de inglês, minha participação no Programa de Desenvolvimento Profissional para Professores de Inglês (PDPI) me fez despertar para a complexidade da formação do professor de línguas e para as inovações que podem ser propostas no ensino e aprendizado na sala de aula, a partir de oportunidades efetivas de capacitação profissional aliada à formação cultural, como elementos constituintes de uma língua e dos elementos que a constituem. Assim, o objetivo deste registrar como a experiência de aprendizagem de professores de inglês em um programa realizado no exterior influenciou suas práticas pedagógicas, identidade pessoal e profissional. Trata-se de um estudo de caso, realizado por meio de uma pesquisa exploratória. Neste recorte, analisamos as respostas de uma das perguntas feitas por meio de um questionário para 15 participantes do PDPI 2018. Os resultados sugerem que investimentos em programas deste tipo, que alinhavam conhecimento, cultura e prática podem consolidar a identidade do professor de línguas, e consequentemente, trazer benefícios significativos para a educação em línguas estrangeiras no Brasil.

Biografia do Autor

Barbara Cristina Gallardo, Universidade do Estado de Mato Grosso

Graduada em Letras - Tradutor/Intérprete pela Universidade Ibero-Americana (1993), mestra em Letras (Inglês e Literatura Correspondente) pela Universidade Federal de Santa Catarina (2001) e doutora em Linguística Aplicada pelo IEL/ Unicamp (2013), na área de Linguagem e Tecnologia, com estágio-sanduíche na Universidade do Texas, em Austin-USA. Professora adjunta na Universidade do Estado de Mato Grosso desde 2006, atuando nos cursos de graduação e pós-graduação. Tem experiência na área de formação de professores de língua estrangeira e atualmente desenvolve pesquisa sobre  Letramentos Digitais, Formação de Professores na era tecnológica e Linguística Aplicada ao Ensino da Língua Inglesa.

Publicado
2021-02-22